PERDIDOS NA NETFLIX: REGRESSÃO

 A mente humana é de difícil compreensão e pode nos pregar grandes peças, sem ao menos desconfiarmos. Se o desenvolvimento de “Regressão” fosse por esse lado, trabalhando o psicológico humano com mais afinco, acredito que o filme seria bem mais aproveitado do que realmente foi. O grande problema é que o longa te leva por um caminho cheio de suspense e que realmente te deixa curioso, mas entrega um final completamente diferente e decepcionante. Não desista de ler essa resenha aqui! Apesar do final, ainda vale a pena assistir “Regressão”.

Baseado em fatos reais, que aconteceram nos Estados Unidos durante os anos 80, o detetive Bruce Kenner (Ethan Hawke) investiga o caso de John Gray (David Dencik), que é acusado de abusar sexualmente da própria filha, Angela (Emma Watson). Embora não se lembre de nada sobre o abuso, o homem acredita que é culpado. Para descobrir o que aconteceu, o detetive contrata um psicólogo que vai ajudar Gray a lembrar daquele momento. Tudo leva a crer que a família do homem esteja envolvida com rituais satânicos.

Ethan Hawke devia ser escalado para mais papeis como esse. Apesar de o roteiro não contribuir tanto para seu personagem, já que ele não apresenta muitas camadas, o ator se entregou de verdade e não decepciona. Já Emma Watson não tem a melhor das atuações. Angela é descrita como uma garota reprimida pela família, que sofreu abusos do pai e parece esconder um grande segredo, mas a atriz não consegue passar para o público toda essa carga emocional. David Thewlis, David Dencik e Dale Dickey cumprem seu papel e poderiam ter mais tempo em cena.

A direção fica por conta do chileno Alejandro Amenábar, que também assinou “Os Outros”, e ele não nos decepciona com os momentos de suspense. O filme já começa mostrando cenas relevantes, não tem enrolação, o que é ótimo! Desde o início a semente da curiosidade já é plantada e ela só cresce até chegar o final, com alguns momentos de muito tensão. Além disso, o filme também levanta a eterna disputa sobre ciência e religião, o que nos faz refletir sobre como nossas crenças podem influenciar em nossas decisões.

“Regressão” tem uma história interessante, boas atuações, ótimas cenas de suspense e susto, mas não consegue desenvolver seu principal tema, não tem um desfecho que surpreende o telespectador e não entrega nada de inovador. É aquele tipo de filme de suspense bom para passar o tempo. Um aviso: não crie muita expectativa pelo bom começo. É melhor assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *